2.8.17

Resenha | O Último Adeus - Abbi Glines (Rosemary Beach #12)

 Título: O Último Adeus
Autor(a): Abbi Glines | Coleção: Rosemary Beach #12
Gênero: Literatura Estrangeira- New Adult, Romance
Páginas: 224 | Editora: Editora Arqueiro | Comprar: Compare e compre
Avaliação:
Sinopse: River Kipling, mais conhecido como Capitão, está em Rosemary Beach para montar um restaurante de luxo para seu patrão. Dono de um passado sórdido e de um presente misterioso, ele não vê a hora de concluir o trabalho e ir embora da cidade para realizar seu sonho: abrir um negócio próprio à beira-mar num lugar onde ninguém tenha ouvido falar dele.
Mas, quando Capitão conhece Rose Henderson, sua ânsia de partir de repente fica em segundo plano. Há algo na risada dela que é familiar demais, e o modo como ela olha para ele o faz lembrar de alguém importante que perdeu há muito tempo. No entanto, a única coisa que Rose revela é que é uma mãe solteira que trabalha duro para sustentar a filha.
Enquanto tenta desvendar os segredos da linda ruiva de óculos engraçadinhos e curvas estonteantes e entender por que ela mexe tanto com seus sentimentos, Capitão precisa fugir da marcação cerrada de Elle, a ex-namorada que não mede esforços para afastá-lo de Rose. Ao mesmo tempo, tem que encarar os fantasmas de seu passado para se tornar um homem melhor e construir um futuro do qual possa se orgulhar.
Nesta sequência da série Rosemary Beach, Abbi Glines mais uma vez escreve uma narrativa ardente e emocionante. Com personagens verossímeis e heróis imperfeitos, O último adeus fala sobre o inesgotável poder de transformação do amor.
Resenha
O Último Adeus é o décimo segundo e penúltimo livro da série Rosemary Beach, da autora Abbi Glines.

Nesse livro, teremos como protagonista River Kliping, ou Capitão, como é realmente conhecido. O conhecemos no terceiro livro da série (na primeira sub-série, em que o casal protagonista é Rush e Blaire), quando Blaire descobriu que ele era seu irmão, mas todo esse tempo ele se manteve distante. Até que seu trabalho o aproximou.

Foi na sub-série anterior (do casal Mase e Reese) que ele esteve mais presente, principalmente de Reese. No entanto, no final da história, descobrimos que não havia sido por simples interesse, mas sim, por que ele havia sido mandado. Capitão não era um somente um homem dos ramos da construção e dos negócios... Ele também era um assassino de aluguel.
Porém, resolver os problemas de Reese com o seu passado, a mando do pai da jovem, foi seu último trabalho. Apesar de suas vítimas serem seletivas – ele matava apenas caras que maltratavam crianças –, ele não queria mais saber de seu passado e muito menos desse trabalho. Capitão resolveu então seguir para Rosemary Beach, onde foi contratado e muuuito bem pago para começar um restaurante do zero, e fazer com que o empreendimento fosse um sucesso. Contudo, ainda não era isso o que ele queria. Aquele não era seu lugar. Assim que ele visse que o restaurante estivesse em pleno funcionamento, o deixaria em outras boas mãos e partiria de Rosemary para abrir seu próprio barzinho em algum lugar onde ninguém o conhecesse.

Pelo menos, esse era o plano. Entretanto, ele vai por água abaixo quando Rose Henderson entra na vida de River, abalando todas as barreiras que ele havia criando há mais de uma década. 

Mas há muita coisa que Capitão não sabe sobre Rose. Na verdade, é quase nada o que ele sabe sobre a ruiva contratada para trabalhar no restaurante. Nada além de que a risada de Rose o faz lembrar da única pessoa que ele havia amado de verdade, mas que havia perdido para sempre.

Capitão também não é um livro aberto. Não mesmo. Ele guarda muita coisa só para si. Não somente sobre seu antigo trabalho, mas também coisas que ocorreram quando ele não passava de um adolescente.
________________________________________________________

Dói repetir isso, mas, sim, Rosemary Beach está quaaaase acabando. (Já estou até pensando em quando irei reler a série... haha)

Capitão, ao contrário da maioria dos caras que conhecemos até este volume, não é muito sociável – o que não faz com que ele seja menos mulherengo do que os outros um dia foram. hahaha Porém, ele arranca muitos suspiros, mesmo com esse seu jeito mais reservado. Principalmente nos trechos em que visitamos seu passado – a parte boa de seu passado – e quando ele está com Rose.

Rose é uma mulher forte e independente, e apesar de não ser rica, amei o fato da Abbi dessa vez não ter criado a personagem feminina como alguém necessitada financeiramente. O que, até então, todas  as protagonistas no início eram.

Além dos personagens apaixonantes, a narrativa da autora continua sensual e muito envolvente. Os livros da Abbi mostram que o clichê nem sempre é um defeito, pois ela, mesmo com essa característica, conquista e faz com que o leitor mergulhe por completo em Rosemary Beach e veja os moradores dessa cidade litoral como mais que simples personagens de ficção. O leitor, desde o início, passa a SE ver admirando o Golfo com os personagens que conquistaram nosso coração... Desejando estar, realmente, ali.

Inicie a leitura de O Último Adeus e algumas horinhas depois finalizei. Nem mesmo conseguir ver como uma opção largá-lo antes de terminar, o que prova o quanto está envolvente.  Aos amantes da série, que chegaram até aqui se emocionando e se encantando a cada livro, não esperem uma história menos apaixonante ou emocionante. E aos leitores que curtem o gênero new adult e que buscam leituras rápidas e envolventes, indico e muito não só O Último Adeus como toda a série Rosemary Beach.

O fato de a série possuir 13 volumes nunca me desanimou, principalmente por não ter se tornado cansativa em nenhum momento, mas sei que esse é um ponto negativo para alguns leitores. Por isso, ressalto que a série é dividida em subséries (cada uma com um casal protagonista), e apesar de eu indicar ler todas elas e em ordem (pois além de incrivelmente envolvente, é divertida e muito bem fluída), é possível ler separadamente.
“Eu me virei para olhar para ela e soube naquele momento, sem dúvida alguma, que ela era tudo para mim. Ela era o meu lar.”

Sequencia Rosemary Beach

Sem Limites (Rush e Blaire): Paixão Sem Limites #1

Perfeição (Woods e Della): Estranha Perfeição #1

Chances (Grant e Harlow): A Primeira Chance #1

(Bethy e Tripp): Para Sempre Minha [Livro único]

(Mase e Reese): Á Sua Espera #2
Ao Seu Encontro #2

(Capitão e Rose): O Último Adeus  [Livro único] 

6 comentários

  1. Caraca, sua resenha está incrível, perfeitamente completa.

    Agora eu acho que se a série tem 13 volumes pode, sim, deixar a galera meio desinteressada. Eu mesmo já fiquei meio assim, desanimado, hehe. Foi bom tu lembrar que a série é dividida em subséries, isso é interessante.

    Parabéns pela resenha, pelo blog, estou sempre ligado no que é postado por aqui, abraço, Dieison, Rio Grande do Sul.

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem?

    Lendo a sua resenha deu para sentir o quanto você curte essa série, muito bacana isso.
    Confesso que, apesar de minhas amigas que são apaixonadas pelos livros da Abbi me incentivarem muito a ler essa série, não consegui ter meu interesse despertado por ela.
    Mesmo com a forma cativante com a qual você apresentou esse décimo segundo livro, não consegui sentir vontade. o.o

    Também não tenho problemas com séries longas, desde que o autor consiga manter meu interesse. Enfim, que bom que você curtiu, e desejo que a autora feche a série com chave de ouro.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  3. Nossa, cara, essa série já tem 12 volumes e ainda não acabou?! Que absurdo! hahaha
    Sua resenha ficou muito bem escrita, mas não gostei nada, nada dessa série. Li os dois primeiros livros e achei bem sofríveis, por isso larguei para lá, fiquei realmente surpresa em saber que ao todo serão 13 livros =O

    ResponderExcluir
  4. Oi Catrine,
    Você vai reler esses livros? Eu li a série Sem Limites dentro dela e gostei do que encontrei, mas é mais do mesmo, sabe? Não achei extremamente inovador e esse livro parece ser assim também.
    Fico contente que você tenha curtido, mas vou passar a dica.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oii, tudo bem?

    JÁ TEM 12 LIVROS? Sabia que eram muitos, mas não tentos.
    Sei que é meio preconceito e não se deve julgar um livro pela capa, mas as capas me cheiram a clichê e por isso nunca li nenhum deles. Ainda imagino que seja bem clichê, principalmente por você ter dito que no início tinha um padrão de mulheres que necessitava de dinheiro, mas quem sabe um dia não dê uma chance? Uma resenha positiva sempre anima, rs.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde
    Caramba, décimo segundo :o!! Parece q vc curte bastante a série, é bom demais quando lemos algo q gostamos tanto, o tamanho acaba não importando. Apesar de ter ficado voando no assunto gostei bastante da sua resenha.

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita, espero que tenha gostado!
Opiniões, sugestões, críticas... fiquem a vontade.❤❤

Design por: Adorável Design

Adaptação por: Estante Mineira