22.7.18

Resenha | A Luz Que Perdemos - Jill Santopolo


Título: A Luz que Perdemos | Autora: Jill Santopolon
Gênero: Romance | Editora: Arqueiro | Páginas: 272

Avaliação:★★★★☆
(Cedido pela editora)
SinopseLucy e Gabe se conhecem na faculdade na manhã de 11 de setembro de 2001. No mesmo instante, dois aviões colidem com as Torres Gêmeas. Ao ver as chamas arderem em Nova York, eles decidem que querem fazer algo importante com suas vidas, algo que promova uma diferença no mundo.
Quando se veem de novo, um ano depois, parece um encontro predestinado. Só que Gabe é enviado ao Oriente Médio como fotojornalista e Lucy decide investir em sua carreira em Nova York.
Nos treze anos que se seguem, o caminho dos dois se cruza e se afasta muitas vezes, numa odisseia de sonhos, desejo, ciúme, traição e, acima de tudo, amor. Lucy começa um relacionamento com o lindo e confiável Darren, enquanto Gabe viaja o mundo. Mesmo separados pela distância, eles jamais deixam o coração um do outro.
Ao longo dessa jornada emocional, Lucy começa a se fazer perguntas fundamentais sobre destino e livre-arbítrio: será que foi o destino que os uniu? E, agora, é por escolha própria que eles estão separados?


RESENHA



Lucy e Gabe se conhecem no dia 11 de setembro de 2001. Porém, não é nesse dia – até hoje, um dos mais tristes da história dos EUA –, que seus destinos iriam, definitivamente, se alinhar.

No entanto, o dia fatídico ficou gravado na memória de ambos (de todos!), e o fato de terem se conhecido no 11 de setembro, e de um ter iluminado o dia do outro por mais sombrio que estivesse, fez com que eles não se esquecessem dos momentos que passaram juntos.

“HÁ MOMENTOS QUE ALTERAM a vida das pessoas. Para tanta gente como nós, que morávamos em Nova York então, o 11 de Setembro foi um desses momentos. Qualquer coisa que eu tivesse feito naquele dia teria sido importante, teria sido gravado a ferro e fogo na minha mente e marcado meu coração. Não sei por que te conheci naquele dia, mas sei que, por isso, você passou a fazer sempre parte da história da minha vida.”

Vou parar por aqui, pois acredito que se eu falar mais um pouco que seja, pode atrapalhar na leitura de quem prefere saber pouco sobre a história para se envolver e se surpreender. Muitas coisas irão acontecer, novas mudanças e cruzamentos de destino, novos personagens que serão de grande importância, decisões que afetaram em tudo etc.

Assim que li a sinopse do livro, assim como a indicação para leitores que gostaram de Como eu era antes de você, a leitura me chamou atenção. E, apesar de ter achado pouquíssima semelhança, continuo indicando pelo fato de ser uma leitura, realmente, bastante emocionante.

Eu nunca havia lido nada da Jill Santopolo antes, nem mesmo a conhecia, mas gostei bastante da leitura, por ser leve e ao mesmo tempo tocante, envolvente, e por ter me feito refletir junto com os personagens de A luz que perdemos. Além disso, a leitura foi, para mim surpreendente; não me surpreendi apenas com o final, mas desde os primeiros capítulos, pois eu imaginava algo completamente diferente – porém, confesso, algumas coisas me frustraram, mas acredito que é mais uma opinião minha que algo que eu deva criticar como erro da autora.

Os personagens são muito bem construídos, e a autora deixa claro que ambos tem uma história, que transformaram eles em quem são. Lucy é uma mulher forte, que luta por seus sonhos; também a achei bem madura desde o início e, ainda assim, percebi evolução na personagem. Gabe é afetuoso e da a atenção que Lucy quer e merece – e às coisas que ela gosta e faz. Darren é outro personagem que entra nessa história formando uma espécie de triangulo amoroso, e é ai que a autora faz o leitor lutar para escolher, pois, assim como Gabe, ele ama Lucy e a faz feliz. 

“— Gabriel — falei, com a respiração entrecortada. — Você faz com que eu me sinta infinita.
Você inclinou a cabeça e me beijou com força.
— Você faz com que eu me sinta invencível — sussurrou.”

Amei o livro e me emocionei bastante, porém confesso que eu pouco me identifiquei com a história em si. Isso não quer dizer que você não irá; pelo contrário, acredito que muitos leitores podem se identificar com ele, principalmente os que já viveram e ainda vivem um grande amor, e que podem já ter passado pelas várias situações narradas no livro. No entanto, se identificando ou não, o leitor com certeza não resistirá as reflexões sobre as atitudes e decisões que tomamos, e os resultados que elas trazem; sobre a vida, sobre o mundo e nosso papel nele.

Indico a leitura a quem gosta de livros romanticos, divertidos e, ao mesmo tempo, emocionantes e reflexivos.

“- O que é uma vida que vale a pena? – perguntou você, por fim.
- É o que estou tentando entender. – Minha mente girava. – Talvez tenha a ver com deixar sua marca, alguma coisa positiva. Tornar o mundo um pouco melhor do que como a gente o encontrou.”

Estou apaixonada pela física deste livro! A capa é lindaaa, mas mais especificamente falo sobre a textura dela. Hahahah Ela é areada (?), e toda gostosinha. Manteiga chega derrete!

Um comentário

  1. Oi!!
    A sinopse desse livro me chama atenção, e leria se pudesse, mas não tenho como prioridade.
    Gostei de saber dos pontos positivos, apesar das ressalvas que fez. Gosto de livros emocionantes.
    Quem sabe um dia eu consiga ler.

    Livros, vamos devorá-los

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita, espero que tenha gostado!
Opiniões, sugestões, críticas... fiquem a vontade, mas com respeito.❤❤

Layout por: Adorável Design