10/31/2017

Resenha | Nunca Olhe Para Dentro - Amanda Ághata Costa

Título: Nunca Olhe Para Dentro
Autor(a): Amanda Ághata Costa
Gênero: Literatura Estrangeira - Romance, Drama
Páginas: 482|Comprar: Comprar
Adicione no Skoob
Avaliação:
Sinopse: Nem sempre a vida é colorida como um quadro ou suave como uma pincelada, às vezes é o contrário de tudo isso. Depois de perder os pais em um acidente de carro aos oito anos de idade, a única coisa que Betina precisa fazer é encontrar o responsável por ter destruído sua família na noite que daria início à sua próspera carreira como pintora. Agora longe dos pincéis e das paletas, ela está focada em terminar a primeira graduação e procurar na justiça um pouco de consolo para o caos que o seu passado ainda traz. Ao lado de seus amigos e sob o teto de uma tia que a detesta, ela perceberá de que cores as pessoas são feitas, e do quanto é realmente necessário olhar para dentro de tudo aquilo que a assombra, mesmo que para isso precise passar por uma inesperada decepção.
Resenhas
Eu me sinto de todas as cores
Quando estou perto de você
E não há nada que possa mudar
A minha forma de te olhar
- Nicolas
Quando tinha apenas oito anos, “A menina prodígio de Ostala”, como chamaram Betina, e seus pais sofreram um acidente quando voltavam de uma exposição de arte, onde alguns dos meus melhores quadros foram protagonistas. Era, sim, para ser um dia marcante em sua vida, mas não pelos motivos que acabaram se tornando. Esse 13 de maio tinha tudo para ser azul, laranja e amarelo... Mas acabou sendo o dia mais preto de sua vida. Um carro, no sentido contrário, invadiu a pista em que eles estavam, forçando seu pai a tentar desviar para que ninguém se ferisse. Porém, eles capotaram e caíram em um lago, de onde apenas Betina saiu – inexplicavelmente, com vida.
“— Não existe segurança quando se fala em viver. A vida é a maior das aventuras selvagens e não oferece nenhum tipo de garantia. É pegar ou largar.”
Para nada obtiveram respostas, pois além de o trecho do lago ser quase sem movimento, não havia câmeras, testemunhas ou qualquer tipo de prova que colaborasse com a investigação. Como se não bastasse, alguns chegaram a falar que a causa do acidente só podia ter sido a embriaguez do pai de Betina, levando em conta as proporções da tragédia. O engraçado e trágico é que ele nem consumia bebida alcoólica. Mas Betina sabe que a culpa não foi dele. Ela se lembra, tinha outro carro na pista e, seja quem for que estivesse nele, esse foi o culpado. Pois, além de fazer com que o carro capotasse, não os socorreram.

Passou-se um tempo, e o caso acabou sendo arquivado, com se nada tivesse acontecido. E a guarda de Betina foi passada para sua tia Cecília, uma bruxa que, ao invés de dar o amor e carinho que ela necessitava, só tiraria mais cores da sobrinha.
“O sempre tem aquilo de achar que será para sempre, até que de repente vira um nunca. Até o sempre se engana.”
Cecília pegava leve no início, embora não economizasse nas agressões verbais. Betina, ainda pequena, pensava que isso era normal. Afinal, ela era sua tia, e só queria protegê-la. Mas com o passar dos anos, a situação só foi piorando. Tapas, chutes, ameaças – tanto a ela quando aos seus poucos amigos –, hematomas escondidos por sob maquiagem, socos... Até a pintura, o que a garota mais amava fazer, foi arrancada de sua vida, provavelmente só pelo fato de ser algo que a fazia feliz.

Doze anos se passaram, e tudo que Betina ainda quer é descobrir quem é o responsável pelo acidente – que tirou não só a vida de seus pais, mas destruiu a dela também –, além de, claro, sair das garras de sua tia. Entretanto, ambas as coisas não estão indo bem, porque 1) sua palavra quase não é levada em consideração, já que quando presenciou o acidente tinha apenas oito anos e 2) porque ela teme denunciar a tia e, logo depois, Cecília ser solta e cumprir suas ameaças.

Sua vida só não foi pior graças Paola e Caio ao seu lado, seus melhores amigos. As únicas pessoas que trazem laranja à vida dela. E, também será com a ajuda deles, e de certo médico INCRÍVEL, que Betina irá perceber que para ela conseguir alcançar seus objetivos ela terá que derrubar barreiras, OLHAR PARA DENTRO, uma vez que, apesar de doloroso, somente assim ela conseguirá ter suas cores de volta.
“Existem silêncios mais escandalosos do que gritos que parecem intermináveis.”
Eu já começo minha opinião dizendo que eu estou completamente apaixonada por Nunca Olhe Para Dentro e que esse é um dos melhores livros que li esse ano. Ele e sua autora são mais provas de que a literatura nacional é ótima, sim! Em relação à escrita da Amanda Ághata Costa, só tenho elogios grandiosos. Ela é envolvente desde a primeira página e maravilhosamente tocante. Às vezes, quando queremos ler um livro de romance dramático/drama romântico, surge a dúvida “será que é de chorar?”.

Quanto a NOPD, a resposta é: Mermão, é de chorar, ranger os dentes de raiva, querer gritar, sofrer, mas também, é de desejar entrar no livro e abraçar  os personagens, de dizer que está ali com eles, de falar o quanto eles são fortes e sensacionais e que merecem todas as cores.
“— Você não pode permitir que roubem as coisas boas que existem aí dentro.”
E, cara, essa coisa das cores! ! ! Me diz se isso não é sensacional e apaixonante?! Esse é só mais um dos muitos porquês de NOPD ser único e especial. Betina refere às emoções como cores, e além de eu ter achado isso lindo demais, creio que passa muito sobre a protagonista; mostra que a pintura e as cores não só fazem parte da história e vida dela, mas também fazem parte DELA. O que contribuiu para que eu me encantasse ainda mais por essa serumana. Ela desperta no leitor, além de uma vontade de protegê-la, um desejo de que ela vença, erga-se, de que ela seja amarelinha outra vez.
“Eu não sei com quais cores tem pintado o seu próprio mundo, mas você devolveu muitas delas para o meu.”
Que Rodrigo Hilbert o que... Nicolas Ferrazo, sim, é o melhor exemplo para “homão da p....”. Assim como Betina, ele e um daqueles personagens que temos vontade de trazer à vida real para fazer do nosso mundo melhor. Carinhoso, divertido, fofo pra caramba etc, difícil não se apaixonar por ele.
“— Se eu puder, vou te dar todas as cores que escolher, não importa quais sejam. Todas elas serão suas. Porque você merece, Betina. Você merece um arco-íris inteiro.”
Mais lindos que Nicolas ou Betina, somente os dois juntos. Não shippar? Ouso dizer que é impossível. É uma explosão de vermelho, branco, amarelo e rosa que não dá para não admirar e torcer intensamente por eles.
“A pintura tem o poder de transformar o nada em tudo, e o tudo em nada. Hoje, nós somos tudo.”
Só não vou prolongar muito falando sobre Caio e Paola para não deixar a resenha gigante, embora eles merecessem. A amizade entre o trio é maravilhosa! Algo que gostei bastante foi o fato da autora não colocá-la ali na história como plano de fundo, algo secundário. Acredito que também seja um dos focos do livro a verdadeira amizade, como sendo tão fundamental e linda quanto qualquer forma de amor.

Nunca Olhe Para Dentro ainda traz um turbilhão de reflexões e ensinamentos, inclusive críticas sociais, principalmente a cerca da violência doméstica.

Até mesmo na trama, tudo parece muito real, como se estivéssemos visualizando as cenas. A Amanda não fez algo levinho, é pesado, chocante, e prefiro que seja assim, pois precisamos ficar chocados para perceber o quanto isso é horrível. Não só as cenas, mas os sentimentos e as reações de Betina são também muito reais, desde o fato de ela achar normal no início até o medo que ela sente de denunciar Cecilia. Além de espantar, isso nos faz refletir e trazer essas reflexões à nossa realidade, onde muitas outras Betinas existem e passam pelo mesmo: violência, silêncio, medo.
“Ficar calado não ajuda, aceitar em silêncio é pior ainda. O primeiro passo para acabar com a violência é mostrar que ela existe e precisa urgentemente parar de ser desacreditada.”
Outra coisa que senti muito satisfeita em encontrar no livro foi a crítica a respeito do julgamento que muitos fazem às vítimas desse crime, dizendo que elas “aguentam porque querem”. NINGUÉM QUER SER VIOLENTADO. Esse olhar para dentro é também o olhar para a violência. Enxerga-la. Saber que ela existe. Ah, já é muito dito, mas quanto mais dito melhor, pois é preciso lembrar sempre: a culpa não é da vítima, então não tente colocá-la nela.

Nem de longe falei tudo o que queria a respeito desse livrão, mas por hoje chega. Já bastam as dezenas de quotes que eu marquei no livro e vou ter que dividir em alguns posts só para eles. Hahah

Eu estou de todas as cores com esse livro. Indico Nunca Olhe Para Dentro para TODOS! Todos merecem ler NOPD, mas, mais que isso, PRECISAM. Sinto orgulho de ser parceira da autora e de estar contribuindo com que mais pessoas conheçam o livro. Entre muitas abordagens, é um livro sobre o amor – não só a paixão, mas a amizade, o carinho, o repeito, a compreensão –, sobre as memórias – e como cada uma delas são especiais pois, independentemente de boas ou ruins, tornam quem somos hoje – e sobre violência doméstica – e como ela ocorre, como a vítima se sente e do quanto precisamos lutar para que ela acabe.

Não posso deixar de falar sobre essa capa e a diagramação do livro. Só lendo para entender o quanto a arte da capa tem a ver com o livro. Ela representa, não um pouco, não muito, mas PERFEITAMENTE o lago em que ocorreu o acidente. Os narcisos e seu significado, a escuridão do lago... Está tudo como descrito. A diagramação também é muito linda, os narcisinhos no início e nos capítulos ficaram muito vermelho.
"Os narcisos amarelos representam todas as possibilidades que me foram roubadas de demonstrar o quanto sinto saudades. Nem mesmo o meu luto é parecido com o de outros parentes que perdem aqueles que amam. A maioria tem a chance de prestar uma homenagem, enquanto eu só tenho os narcisos para dar a um maldito lago inanimado.”

7 comentários

  1. Histórias que, apesar de terem um começo triste, nos despertam diversos sentimentos são sempre exemplos grandiosos de como a literatura pode despertar a empatia dentro do leitor. Juro que não dei muita atenção ao livro até ler algumas resenhas aqui na blogosfera e foi sensacional como ele conseguiu emocionar tanta gente. Estou bastante curiosa pra mergulhar no livro, adoro simbolismos e fico feliz que dentro da história colocaram cores, algo que pode ser extremamente simbolista dentro da trama.
    Ótima resenha!
    Beijos <3

    ResponderExcluir
  2. Oi Catrine.

    Estou bem curiosa pelo livro.A história parece ser realmente muito boa, principalmente por ser nacional. Sempre temos que valorizar a literatura brasileira ainda mais quando ela é critiva. Sua dica está anotada para conhecer mais um trabalho da Amanda.

    Bjos

    ResponderExcluir
  3. Olá flor...

    Que capa linda, adorei! Não conhecia a obra e fiquei curiosa depois dessa resenha. Já vou adicionar na lista de desejados, que só aumenta...kkkk


    Abraços

    ResponderExcluir
  4. oi, mlr.... deve ser uma leitura tocante e profunda, pela tua resenha a gente nota isso... já ouvi falar muito bem dessa obra da autora, muita gente elogiando...
    legal a trama focar em temáticas tão importantes de serem discutidas como a questão da violência doméstica...
    bjs...

    ResponderExcluir
  5. Nunca fiquei tão feliz em ter aproveitado a promoção do ebook na Amazon, mesmo sem conhecer a autora (no sentido de não ter lido nada, pois já tinha notado seus livros antes).
    Depois da sua resenha, a vontade que ficou foi a de largar tudo e cair na leitura agora mesmo de tão interessante que me pareceu a leitura (sem falar nos temas importantes que ela levanta).
    Que bom que tenho o livro no kindle e que logo posso ler. espero gostar tanto quanto você :)
    Beijinhos,
    Lica

    ResponderExcluir
  6. Oi Catrine.
    Excelente resenha! Você conseguiu me deixar muito interessada no livro. Principalmente pela reflexão que ele vai provocar acerca da violência doméstica, que é um assunto que tem que ser tratado de um modo claro e direto.
    Concordo com você, a capa é realmente muito linda!
    Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Oie Catrine!
    Menina que resenha, já estava louca de curiosidade para ler esse livro, depois de ler essa resenha linda e super sincera, vou ali ler! Falei que baixei no kindle, mas ainda não consegui pegar para ler, estou com saudade de romances intensos assim, e bem escritos.Fico tão feliz quando vejo um nacional sendo bem comentado só me anima ainda mais para ler. Adorei saber sobre esses personagens lindos que já vi que irão conquistar meu coração, e espero me emocionar com Betina. Adorei a resenha, já já te chamo para conversarmos mais sobre esse livro!

    beijos!
    https://blogdatahis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita, espero que tenha gostado!
Opiniões, sugestões, críticas... fiquem a vontade, mas com respeito.❤❤

Layout por: Adorável Design